15/07/14

A Fundação do Feminismo
25/06/14
5.000% de Paranóia
10/05/14
Pensando nELA
25/04/14
Atacando uma Ficção
20/02/14
Estuprando a Justiça
03/03/14
Entendendo a MISANDRIA
18/02/14
Heroísmo: O Outro Lado da Masculinidade
18/02/14
Em Defesa do Patriarcado
03/02/14
Hipótese Benevolente Sobre A Cruzada Anti-Reprodutiva
31/12/13
A Cultura do ESTUPRO
28/11/13
O Estupro da CULTURA
28/11/13
Expressar ou Doutrinar?
26/09/13
Traindo o Movimento
27/08/13
Filosofia, Ideologia e Militância
23/08/13
Infeliciana Homofobia
17/08/13
As Ovelhas
e os Memes

13/08/13
Complexo de Paraíso Perdido
06/08/13
Financiamento Público de Campanha
12/07/13
Cavalheirismo é Sexismo?
10/07/13
Histórico de Textos Publicados
G
R
I
D
V
E
N
C
E
2 0 1 4


30 de Julho


DIAS DE INTOLERÂNCIA

IMPORTANTÍSSIMA Pesquisa sobre o fenômeno social dos linchamentos. Possivelmente inédita numa série de pontos, até pela dificuldade em encontrar dados sobre tais crimes nos registros policiais e ainda mais nos jurídicos, uma vez que praticamente ninguém jamais foi condenado por isso, mesmo quando causam a morte de inocentes.

Há um detalhamento especial em 50 casos recentes ocorrido há menos de um ano, com um total de vítimas de 53 homens e Duas mulheres, a maioria inocentes ou de culpabilidade duvidosa.

Vale lembrar que apesar de ter havido algumas repercussões anteriores desde os infelizes comentários de Rachel Sheherazade, parece que a morte da mãe e dona de casa Fabiane Maria de Jesus, única que foi linchada sob suspeita de "bruxaria", teve importância crucial em desencadear algumas mobilizações a respeito do assunto.

23 de Julho

Finalmente consegui sintetizar o problema do filme MALÉVOLA, que havia me incomodado mas demorei a decifrar o porquê.

É que tradicionalmente os Contos de Fada trabalham com a oposição entre um Feminino MALIGNO, sempre Ativo, e um BENIGNO, que pode ser Passivo ou Ativo.

Originalmente:
MALÉVOLA é o Feminino Maligno;
AURORA o Benigno Passivo;
e as FADAS o Feminino Benigno Ativo.

Apesar das Fadas terem sido reduzidas a 3 Patetas inúteis, foi interessante a inversão da personagem principal que faz a transição do Feminino Ativo Maligno para Benigno Ativo. Também gostei da noção de que o "Amor Verdadeiro" como sendo profundo e Filial invés de precocemente Romântico.

Mas o problema é que a inversão de gênero não foi completa, pois SÓ EXISTE O MASCULINO MALIGNO!

No original os personagens humanos, em especial o Príncipe, não passam de joguetes passivos numa disputa entre Malévola e as Fadas, mas ao menos ele ainda guarda alguma aparência simbólica em termos de Masculino Benigno Ativo.

Na nova versão nada disso restou, pois os personagens masculinos, o Príncipe e o Corvo, mal tem sequer a aparência de masculinidade. Assim, o Feminino Maligno se redimiu no Benigno, mas o Masculino é MAL Puro!

Coisa cujo reverso equivalente JAMAIS aconteceu nos Contos de Fadas Clássicos.

Se compararmos com 'Branca de Neve e o Caçador', por exemplo, notaremos que as inúmeras alterações não afetam a dinâmica simbólica apesar de haver algumas inversões.

Na versão original temos:
Feminino Benigno Passivo - Branca de Neve
Feminino Maligno Ativo - Rainha Bruxa
Masculino Benigno Ativo - Os Anões
Masculino Benigno Passivo - O Príncipe

Não há Feminino Benigno Ativo e temos o caso do Soldado enviado para matar a Branca de Neve, que seria o Masculino Maligno, mas ele se converte para Benigno e a deixa escapar.

Já na nova versão, ocorreu que o Masculino Benigno Ativo foi deslocado dos Anões para outros homens em especial o Caçador, e surgiu um Masculino Maligno marcante na figura do irmão da rainha.

A "inversão de gênero" no caso é que Branca de Neve ganhou uma dimensão Ativa. Mas apesar de todas essas alterações, a essência arquetípica não foi afetada. Continua havendo a prevalência simbólica do Bem sobre o Mal e os arquétipos Feminino e Masculino foram conservados ainda que com alterações dinâmicas.

O final de Contos de Fadas deste tipo sempre é a união simbólica do Masculino e Feminino Benignos, que na verdade, em seu sentido mais profundo, representa a união interna dos aspectos Masculino e Feminino em cada pessoa.

Malévola, o filme, destrói isso praticamente igualando o Feminino ao Bem e o Masculino ao Mal, eliminando então a única dinâmica realmente real, que é do Masculino e Feminino, uma vez que a dinâmica Bem e Mal é na verdade ilusória, visto que o Mal não tem essência, sendo apenas a carência de Bem, ao passo que Feminino e Masculino são essências primordiais. A verdadeira dualidade harmônica original.

O resultado é espantosamente maniqueísta.

15 de Julho

CHEGA DE ESPERAR! Chega de me dedicar exclusivamente a temas ingratos e desagradáveis. Já passou da hora de retomar a mais grata e bela atividade deste site. A FICÇÃO CIENTÍFICA! Por isso publico meu novo Livro Virtual de FC.

E isto é só o recomeço. Após quase 2 anos sem nenhuma publicação do gênero, não vou mais me permitir postergar meus inúmeros projetos literários. Nesse exato momento trabalho em outros textos do Universo DAMIATE e alguns Contos diversos. Não tenho previsão de publicá-los mas garanto que não demorarão o mesmo e vergonhoso montante de tempo.

GRIDVENCE vem para inaugurar uma nova fase. Sem querer abandonar os espinhosos e polêmicos temas que até custam admiradores e amizades, preciso minimizá-los e voltar a me concentrar em meus mundos internos, onde o ficcionismo e a especulação filosófica são mais livres, autênticos e enriquecedores. É dessas viagens que retiro a maior parte de minha força, misturando da forma mais harmoniosa possível a Razão, a Emoção e a Intuição, pois nada é mais Real que nossas Fantasias.

E não vou parar por aí. Esse site, em especial essa página principal, vai mudar radicalmente, como espero já tenha sido notada algumas mudanças. Pretendo promover uma separação maior entre os temas polêmicos e mundanos e a parte sublime da especulação filosófica e da Ficção Científica.


Junho de 2014
Maio de 2014
Abril de 2014
Março de 2014
Fevereiro de 2014
Janeiro de 2014

D E Z E M B R O de 2 0 1 3
Novembro de 2013
Outubro de 2013
Setembro de 2013
Agosto de 2013
Julho de 2013
MARÇO À Junho de 2013
Fevereiro de 2013
Janeiro de 2013
D E Z E M B R O de 2 0 1 2
Novembro de 2012
Outubro de 2012
Setembro de 2012
Agosto de 2012
Julho de 2012
Junho de 2012
Maio de 2012
Abril de 2012
Março de 2012
Fevereiro de 2012
Janeiro de 2012
N O V E M B R O e D E Z E M B R O de 2 0 1 1
Setembro e Outubro de 2011
Julho e Agosto de 2011
Abril a Junho de 2011
Março de 2011
Fevereiro de 2011
Janeiro de 2011
D E Z E M B R O de 2 0 1 0
Novembro de 2010
Outubro de 2010
Setembro de 2010
Agosto de 2010
Julho de 2010
Junho de 2010
Maio de 2010
Abril de 2010
Janeiro a Março de 2010
D E Z E M B R O de 2 0 0 9
Novembro de 2009
Outubro de 2009
Setembro de 2009
Agosto de 2009
Julho de 2009
Junho de 2009
Maio de 2009
Março e Abril de 2009
Fevereiro de 2009
Janeiro de 2009
N O V E M B R O e D E Z E M B R O de 2 0 0 8
Outubro de 2008
Setembro de 2008
Agosto de 2008
Julho de 2008
Junho de 2008
Maio de 2008
Abril de 2008
Março de 2008
Janeiro e Fevereiro de 2008
D E Z E M B R O de 2 0 0 7
Novembro de 2007
Setembro e Outubro de 2007
Julho e Agosto de 2007
Maio e Junho de 2007
Março e Abril de 2007
Janeiro e Fevereiro de 2007
O U T U B R O, N O V E M B R O e D E Z E M B R O de 2 0 0 6
Setembro de 2006
Agosto de 2006
Julho de 2006
Maio e Junho de 2006
Abril de 2006
Março de 2006
Janeiro e Fevereiro de 2006
N O V E M B R O e D E Z E M B R O de 2 0 0 5
Setembro e Outubro de 2005
Junho a Agosto de 2005
Maio de 2005
Março e Abril de 2005
Fevereiro de 2005
Janeiro de 2005
D E Z E M B R O de 2 0 0 4
Novembro de 2004
Outubro de 2004
Setembro de 2004
Agosto de 2004