2 0 2 2
29 de Março - 20:24

Permanece espantosa a ingenuidade de grande parte da esquerda progressista em relação ao mínimo senso de realidade sobre o povo do país que a rodeia. Tem gente por aí achando que o episódio LULApalooza tiraria votos de Bolsonaro!

Hells! Se isso tiver alguma relevância, será A FAVOR do sociopata genocida, visto que a imensa maioria da população não se identifica com quem tem condições de pagar trocentos reais para ver uma Drag Queen e muito menos nutrirá qualquer simpatia pelo que "ele/ela/elu/elx/el@/eli" tem a dizer sobre o que quer que seja. Cada segundo de correlação, mesmo que farsesca, de Lula com a pauta LKJHGFDSAXZXCVBNM representa mais votos para Bolsonaro, e o próprio Lula sabe perfeitamente disso.

É inacreditável como é que ainda tem gente que não percebe que os caprichos neoburgueses de uma elite eurofílica NÃO SÃO PAUTA POPULAR!

Bolsonaro só sai ganhando com essa polêmica toda, pois, no mínimo, lembra àqueles menos empolgados de seu eleitorado o que há do lado adversário.

29 de Março - 06:57

Nada justifica a violência, porque
é A Violência Que Justifica Tudo!

28 de Março - 15:36

Só pra lembrar, o mesmo país que há algumas semanas foi lá pedir petróleo, havia posto a "cabeça de Maduro a prêmio!" LITERALMENTE!

28 de Março - 14:34

E eis que os EUA, que parece não ter mais o que fazer apesar da pandemia, decidiu "conceder uma medalha de honra" a Nicolás Maduro atestando que ele vale U$ 15 MILHÕES!

Morra de inveja Steve Austin!


28 de Março - 11:26

Da série, O mínimo que você precisa saber para não ser um idiOTAN.

Raphael Machado
28 de Março

10 países atacados, aprox. 3 milhões de mortos, inúmeros golpes de Estado.

Mas esses caras não são cancelados e não sofrem sanções.


27 de Março

O "Padrão Dólar" está tão desacreditado que já tem até corrupto pedindo propina que antevê o retorno do "Padrão. OURO".

26 de Março -15:57

Eis que, finalmente, aconteceu. FUI BLOQUEADO pelo Facebook por 24 horas, e meus posts terão seu alcance ainda mais reduzido do que já tem. Nem sei se alguém verá isso aqui.

Há quase um ano publiquei uma reflexão de por que eu nunca tinha sido punido por essa Rede Antissocial, link nos comentários. E agora tenho ainda mais motivos para pular fora, provavelmente até fechando a página das 4 Damas do Apocalipse, pois descobri que a punição também afeta as atividades da página.

Quer saber mais? Expliquei em vídeo no meu canal, link no segundo comentário.

26 de Março - 12:45

E hoje, finalmente entendemos o porquê do silêncio. A questão das centenas de biolaboratórios norte americanos diretamente promovidos por órgãos militares ao redor do mundo é algo que supera as mais delirantes ficções. A imensa maioria sequer está pronta para pensar sobre isso.

26 de Março

Os JOGOS MUNDIAIS MILITARES são uma espécie de "Olimpíadas" alternativas, realizados também a cada 4 anos, que infelizmente tem recebido pouca atenção do público geral. No Brasil, a maioria ouviu falar dele pela primeira vez em 2011, quando foram realizados no Rio de Janeiro, ocasião na qual conquistamos 114 medalhas (45 de ouro), ficando em primeiro lugar. Em segundo ficou a China, com 99 (37 de ouro).

Mas o evento ocorre desde 1995, sendo sediado pela primeira vez em Roma, e depois em Zagreb (Croácia), Catânia (novamente na Itália), Hyderabad (Índia), Rio de Janeiro, Mungyeong (Coréia do Sul), e no ano passado em Wuhan (China), entre os dias 18 e 27 de Outubro, onde, sem surpresa, desta vez a China ficou em primeiro lugar com 239 medalhas (133 de ouro), seguida pela Rússia com 161 (51) e Brasil em terceiro, com 88 (21).

Sim, a mesma Wuhan onde se iniciou o surto de Coronavírus em Dezembro passado, recebeu, menos de dois meses antes, 9.308 atletas de forças militares de 110 países diferentes, sem contar as equipes de apoio, público e imprensa, o que nos permite estimar no mínimo uns 30 mil estrangeiros, provavelmente muito mais. (Há uma espantosa escassez de informações a respeito, o jornal chinês Xinhua Net é um dos poucos portais com ampla cobertura do evento.

É com base nisso que alguns chineses tem circulado uma teoria conspiratória de que o vírus SARS-Cov-2 não é originário da China. O pontapé inicial foi dado por Zhao Lijian, vice-diretor do Ministério de Relações Exteriores chinês, que twittou vídeos onde o chefe do Centro de Controle de Doenças norte americano teria dado a entender ter havido mortes antes de 29 de Fevereiro, data alegada da primeira vítima nos EUA, que posteriormente teriam sido consideradas causadas pela COVID-19.

Daí, uma onda de boatos passaram a considerar que tanto o vírus poderia ter se espalhado antes do que se pensava pelo mundo (levado pelos que visitaram Wuhan), quando que até mesmo poderia ter sido trazido de fora do país, como questionou o infectologista chinês Zhong Nanshan.

Vale lembrar que o fato de uma epidemia ter eclodido em algum local não significa que o patógeno se origine ali, visto que as populações residentes costumam estar ambientadas aos seus ecossistemas, e é justamente a introdução de um microorganismo externo ao qual não estão imunizadas que pode desencadear um surto infeccioso a partir do qual surgem novas mutações tornando ainda mais difícil saber a procedência desse patógeno.

Mas o importante aqui é considerar que mesmo não havendo evidências que suportem a tese da origem estrangeira do vírus (ainda que seja incomensuravelmente mais plausível do que o delírio de que a China infectou deliberadamente a própria população), o fato é que muitos chineses estão desconfiados. Tendo sido duramente atingidos e pairando suposições como essa, não é de se admirar que tenham ficado bastante revoltados com teorias conspiratórias ocidentais que afirmam justamente o oposto. Daí a baixa tolerância com o "Vírus Chinês" de Trump ou a bananice do boneco de ventríloco Dudu B3, absolutamente incapaz de emitir um único pensamento original.

Isso porque o médico Li Weilang que está sendo considerado como um herói trágico, que teria sido perseguido pelo governo Chinês, só se destaca pelo fato de ter morrido. Mais de uma dezena de médicos foram de fato advertidos porque deixaram vazar uma informação efetivamente falsa, de que as pneumonias que estavam verificando seriam resultantes de SARS-Cov. A verdadeira responsável pela descoberta foi na verdade a Doutora Ai Fen, que tomou contato com o primeiro caso suspeito em 18 de Dezembro. O segundo foi dia 27.

Porém, a versão oficial do governo foi que o vírus não era o SARS-Cov, sendo na verdade desconhecido, como foi informado já 31 de Dezembro à Organização Mundial de Saúde. Só depois o vírus foi nomeado como SARS-Cov-2, um NOVO CORONAVÍRUS!

Foi por isso que os profissionais foram chamados a atenção, embora nenhum tenha sido punido. O verdadeiro problema foi a repercussão nas redes sociais, e tal qual nosso atlético presidente, as autoridades chinesas também se procupam com disseminação de informações alarmistas que possam gerar pânico e prejudicar a economia, como ocorreu com o mercado de frutos do mar Huanan, considerado pelos mesmos profissionais, e também erroneamente, como o ponto zero da epidemia.

Por fim, há a suspeita de que boa parte do contágio mundial possa ter ocorrido bem antes, com os estrangeiros que estiveram em Wuhan em Outubro e possam ter servido de agentes transmissores, não intencionais, é claro. Também não acredito na teoria de conspiração popular entre os chineses que foram os atletas militares norte americanos que trouxeram intencionalmente o vírus à mando da CIA. Haveria formas muito mais discretas de fazer isso.

Por sinal, a maioria delegação foi a brasileira, e os EUA, de modo surpreendente, tem tido baixo desempenho nessas competições.

Mas é bom lembrar que muito desses estrangeiros, a maioria militares, poderiam muito bem ter contraído o vírus e disseminá-lo sem suspeitar, uma vez que, em sua condição de atletas, caso o contraíssem, não seriam derrubados por aquilo que para eles seria só uma gripezinha.

Também não aposto nessa possibilidade. Só não a descarto justamente pelo silêncio sepulcral da quase totalidade da mídia em relembrar os Jogos Militares de 2019 em Wuhan e sua incrível proximidade com o surto de coronavírus.


24 de Março

Assim, os mísseis hiperluminais russos podem viajar no tempo, atingindo seus alvos antes mesmo da guerra começar. Aliás, antes mesmo de pensarem numa guerra. Na verdade, foi assim que os nazistas foram derrotados no front russo na Segunda Grande Guerra. Aquele inverno "nuclear" especialmente rigoroso foi resultado desses mísseis vindo do futuro!


18 de Março - 21:53

Mini glossário de Otanistês.

ARMA DE DESTRUIÇÃO EM MASSA: todo e qualquer tipo de arma nuclear, química ou bacteriológica em poder, ou supostamente em poder, de nações não alinhadas ou submissas aos EUA.

CRIME DE GUERRA: todo e qualquer tipo de resultado de ação militar, e somente essas, que contrarie os interesses políticos e econômicos dos EUA.

DITADURA: todo e qualquer tipo regime político, e somente estes, que não seja aliado ou submisso aos EUA.

INTERVENÇÃO HUMANITÁRIA: toda e qualquer forma de ação militar, e somente essas, que atenda aos interesses políticos e econômicos dos EUA.

REVOLUÇÃO: todo e qualquer tipo de Golpe de Estado, e somente esses, que troquem um governo não alinhado nem submisso aos EUA, por outro que o seja.

TERRORISMO: toda e qualquer forma de ação militar, e somente essas, que entre em choque contra os interesses dos EUA.

18 de Março - 21:02

Carvalho! Nem eu sabia que a China tava tão avançada assim!


18 de Março - 16:11

Visão de quem conheceu a região pessoalmente.

Uriel Araujo
18 de Março

A Ucrânia bombardeia a população russa de Donbass há 8 anos, desde 2014 - atacando escolas e hospitais. A Ucrânia, desde 2013 (revolução Maidan que derrubou ilegamente um presidente) vem impondo um ultranacionalismo, que é apoiado pela extrema-direita. O batalhão neonazi (Azov) foi incorporado oficialmente à Guarda Nacional (ter um presidente judeu hoje não muda esse fato). Além disso, esse país bilingue vem proibindo e limitando a lingua russa em diversos âmbitos e glorificando como herois nacionais figuras controversas que colaboraram com os nazistas na 2a guerra mundial (como Stepan Bandera), causando assim uma polarização no país. No geral, a Ucrânia vem adotando políticas chauvinistas que vêm criando problemas nas relações bilaterais com a própria Polônia vizinha e com os gregos, entre outras minorias étnicas.

No início desse ano, a Ucrânia bombardeou a região de Donbass inteira (região com grande população étnica russa), inclusive infraestrutura civil, o que caracteriza um terrorismo de Estado.

Concorde-se ou não com as operações de guerra atuais de Moscou, é sempre importante relembrar esse fato "esquecido". A guerra não começou agora: começou em 2014. O que mudou foi o reconhecimento russo às duas repúblicas rebeldes de Donbass (Donetsk e Lugansk) e a entrada de Moscou no conflito.

A outra questão é a expansão da OTAN, a aliança militar do ocidente, com uma série de provocações e exercícios militares nas fronteiras russas: basicamente o Ocidente vem usando a Ucrânia para provocar a Rússia - recomendo ler os artigos do cientista política Mearsheimer.

Esse é o contexto "esquecido". Ninguém é obrigado a "apoiar" uma guerra que todos lamentamos, mas a hipocrisia do Ocidente neste caso é visível.

Só nos resta rezar para que seja re-estabelecida a paz entre dois povos irmãos e para que o governo brasileiro mantenha sua neutralidade.


17 de Março

Os liberais totais, aqueles que "liberam geral" na economia e nos costumes, ao menos tem a virtude da consistência ao apoiar o OTANistão. Problema maior está nos conservadores que insistem em se posicionar ao lado de quem eles mesmo acusam de destruir a família e as tradições, mas aqui, quero comentar os progressistas.

Aqueles que tem clareza quanto ao fato de que houve um golpe de estado no Brasil, apoiam Dilma e Lula, odeiam Bolsonaro e Sérgio Moro, mas, ainda assim, engolem a versão da mesma grande mídia, que também odeiam, ignorando que a Ucrânia passou por um processo perfeitamente análogo ao brasileiro, só que muito pior!

Vejamos.

1) Em 2013, após recusar propostas do Governo Obama de trocar parcerias com Rússia e China em prol de parcerias com os EUA, o Brasil passou a ser assolado pelas Jornadas de Junho. Ao final do mesmo ano, após recusar propostas de trocar aproximação com a Rússia para a aproximação com os EUA, a Ucrânia foi assolada pelo Euromaidan. Em ambos os casos, esses períodos envolveram visitas do então vice presidente norte americano, um tal de Joe Biden.

2) No Brasil, o frenesi começou com um protesto contra o preço das passagens, na Ucrânia, por uma recusa a aderir a União Europeia, mas em ambos os casos o pretexto original logo foi esquecido em prol de uma balbúrdia generalizada que se estendeu para temas distintos dos quais predominaram críticas à corrupção e a todo o sistema político em si, com violência e quebradeira generalizada. Lembrando que o caso ucraniano é muito mais grave que o brasileiro, por aqui tivemos alguns feridos e uns poucos mortos, na Ucrânia foram centenas de mortos. Cá tivemos Black Blocks e P2 infiltrados nas manifestações para exponenciar a violência repressiva pondo a culpa no governo, lá tivemos membros de grupos neonazistas que chegaram a atirar contra manifestantes pondo a culpa no governo.

3) A popularidade de Dilma, que não era baixa, despencou após os protestos, e seu governo foi sendo cozido lentamente até seu impeachment em 2016. A popularidade de Viktor Ianukovytch, então presidente ucraniano, que já era bem menor, despencou ainda mais, só que invés do banho-maria, ele foi fritado em tal velocidade que teve que fugir do país. Em ambos os casos, foram imediatamente sucedidos por vices completamente submissos aos EUA, que de imediato iniciaram reformas em sentido completamente oposto ao do ocupante anterior do cargo.

4) O processo de desestabilização e destruição de ambos os países, porém, estava só começando. No Brasil, após manifestações anti corrupção, a Operação Lava-Jato colocou na cadeia de forma criminosa o político que teria ganho as eleições, e Michel Temer iniciou uma cruzada de devastação das bases trabalhistas, políticas e econômicas da nação. Na Ucrânia, uma série de ofensivas ainda mais agressivas especialmente sob o governo de Petro Poroshenko, também em nome do combate a corrupção, criminalizou partidos de esquerda inviabilizando a maior parte das candidaturas que poderiam levar de volta ao poder um presidente não capacho dos EUA. Lá, isso permitiu a chegada ao poder de Volodymyr Zelenskyy, aqui de Bolsonaro, mais uma vez, ambos babadores de ovo dos EUA.

5) Nos dois casos a situação econômica só piorou! E apesar de ter recebido quase 3/4 dos votos válidos, a participação popular na eleição, que é voluntária, foi baixíssima, de modo que proporcionalmente menos de 40% da população de fato votou no comediante, até porque a essa altura, muitos ucranianos de ascendência russa nem tinham mais como votar. No Brasil, apesar da vitória de Bolsonaro, o nível de abstenção foi recorde, de modo que um percentual populacional parecido efetivamente votou em Bolsonaro. Mas ainda mais interessante é que, em ambos os casos, pouco depois de eleitos, suas popularidades despencaram, estabilizando, os dois, em torno de 25%.

6) No Brasil, o fechamento do congresso ficou só na vontade dos bolsonaristas, na Ucrânia, Zelensky efetivamente dissolveu o parlamento, o que é constitucionalmente previsto, porém, foi feito de forma antecipada, irregular e acusada por muitos de golpe. Com isso, ele antecipou as eleições parlamentares e conseguiu maioria absoluta no congresso para seu recém criado partido, o Servo do Povo, graças a sua popularidade momentânea. Por aqui, Bolsonaro até conseguiu uma maioria significativa no congresso com seu PSL, eleita graças a sua popularidade momentânea, mas cujo domínio do Congresso minguou rapidamente.

7) A relação de Bolsonaro com milícias é fato notório, incluindo condecorações e parcerias com milicianos condenados por assassinato. Na Ucrânia, Zelensky também colocou em seu governo membros notórios de milícias neonazistas. Sara Winter e o ex policial com diversos assassinatos nas costas, Daniel Silveira, não estavam brincando quando falavam em "ucranizar o Brasil", até porque grupos que ajudaram a colocar Bolsonaro no poder, como o MBL, assumiram abertamente que tinham contado com os movimentos ucranianos do Euromaidan. A diferença, é que, por aqui causaram alguns motins locais, assassinatos pontuais, incluindo o de Marielle Franco, e ficaram só no discurso no sentido de "fuzilar a petralhada", sonhando em "matar 30 mil". Na Ucrânia, as milícias neonazistas efetivamente iniciaram uma limpeza étnica anti russa no país, resultando numa guerra civil separatista que ao longo de 8 anos matou quase 15 mil.

Chega. Poderia apontar muito mais convergências, destacando sempre que o caso ucraniano é, porém, muito mais grave. Mas o ponto é que não é possível ver o atual governo da Ucrânia como algo belamente democrático sem assumir que Bolsonaro seria muitíssimo mais democrático e isento de qualquer mácula, bem como somente a insanidade permite ver nazismo ou fascismo em Bolsonaro sem admiti-lo no caso escancaradamente mais evidente do Governo Zelensky.

Ambos os países foram vítimas de "Revoluções Coloridas", leia-se, processos golpistas perpetrados, COMO SEMPRE, pelos EUA, com a diferença que aqui ainda é preciso tem um mínimo de disposição para olhar para as evidentes relações de Sérgio Moro e Deltan Dallagnol com o Departamento de Estado Norte Americano, com direito até a visitas à sede da CIA. Na Ucrânia, o próprio Departamento de Estado, por meio de figuras como Victoria Nusland e do próprio Joe Biden, foi publicamente cumprimentar e posar para fotos com os golpistas.

O atual apoiador de Lula e Dilma que grita que em 2016 sofremos um golpe e xinga Bolsonaro de fascista, só pode apoiar o governo ucraniano às custas do mais primário senso de dignidade intelectual e moral.

16 de Março

MIL INSCRITOS! Finalmente! E quem não se inscreveu ainda, por favor, ajude a consolidar esse número.


13 de Março

A vocês que tem estômago para se submeter ao suplício de acompanhar a grande mídia, pergunto: após o "ato falho" de Victoria Nuland, e a confissão aberta de Tulsi Gabbard confirmando as acusações russas e chinesas, a mídia ainda está fingindo que os laboratórios biológicos potencialmente letais dos EUA na Ucrânia não existam?

13 de Março

Antes de 24/02: se UM nazista se senta numa mesa de NOVE pessoas, e ninguém se levanta, então temos 10 nazistas!

Depois de 24/02: o fato de uma pessoa se sentar numa mesa com NOVE nazistas, não significa que ela seja nazista!

10 de Março

Nada a acrescentar. Perfeito.

Carlos Alberto Sanches
10 de Março

A censura nas plataformas virtuais viola a soberania dos países. Não importa se são empresas privadas e não estatais. Isto é secundário. São estrangeiras. Monopolizam a internet. Não há "liberdade de mercado" nesse terreno; os tresloucados e abstratos conceitos mercadocêntricos não servem para a situação. Essas empresas são estrangeiras e, colocando-se *acima* das constituições dos países, dão-se o direito de derrubar canais e perfis com base nas cartilhas determinadas pelos *seus* governos locais ou regionais. (Nota para o fato de que poucos compreenderam que este problema da censura na internet é uma violação das soberanias nacionais. Aldo Rebelo é um dos poucos que o fez.) Mas o zé-ruela debilóide só enxerga violação de soberania quando há invasão militar ou quando é um Estado passando por cima do outro, não consegue enxergá-la onde ela se exerce por métodos sutis e por instrumentos não-estatais. O Brasil está sendo sabotado em todos os níveis. Quase tudo o que não é autóctone (ou seja, toda essa merda identitária) foi implantado aqui como sabotagem internacional. Não houve uma "tomada de consciência" da humanidade sobre esses temas (igualdade de gênero, gueis, diversidade sexual etc), houve, isto sim, a implantação de falsos problemas na cabeça de jovens naturalmente desorientados e em crise de individuação, a implantação do ódio inter-racial ou inter-classista na cabeça de jovens ávidos por explicações do porquê sofrem, do porquê são pobres, do porquê o outro tem e ele não tem. O estrago disto é maior do que o estrago de mil tanques de guerra. Entrar na cabeça de uma população, operar nela uma lobotomia ideológica, é uma violação mais grave do que qualquer outra.


7 de Março


6 de Março

O último vídeo no meu "Mr Tubi" passou da marca de mil visualizações em menos de 48 horas, desbancando Amor & Monstros MGTOW - Vídeo 237 que detinha o título de vídeo proporcionalmente mais bem sucedido do canal, por ter agora mais de 900 views em menos de 10 meses, só perdendo para vídeos de mais de 5 anos atrás.

Temo que o título tenha colaborado para esse inesperado sucesso que também me trouxe uns 20 novos inscritos, me deixando mais perto da marca de 1.000 do que nunca.

Se for verdade, será forçoso admitir que, infelizmente, Olavo de Carvalho é que estava certo: o negócio é falar "cu!"

5 de Março

Como exemplo de que a grande mídia ocidental pró-OTAN é de uma sordidez abjeta, seleciono aqui apenas 4 exemplares de documentários de grandes órgãos de imprensa internacionais sobre milícias neonazistas ucranianas. Todos disponíveis no YouTube.

Nenhum deles tem tradução em português, mas o inglês é claríssimo e na maioria há legendas automáticas cuja tradução para português funciona razoavelmente.

1. O mais novo, de 2019, é da Revista norte americana TIME, intitulado Inside A White Supremacist Militia in Ukraine. (Por dentro de uma milícia supremacista branca na Ucrânia), e na descrição se lê que "O Correspondente da TIME, Simon Shuster, viaja para a Ucrânia no verão de 2019 para investigar milícias supremacistas brancas que estão recrutando pessoas para se juntar a sua luta."

2. De um dos maiores órgãos de imprensa alemão, o Deustch Welle, temos Women and the Azov battalion in Kyiv, Ukraine (Mulheres e o Batalhão Azov in Kiev, Ucrânia), de 2018, cujo nome deixa claro um foco sobre a participação feminina, e explora alguma questões sobre os símbolos usados, além da ênfase nos protestos do Euromaidan.

3. Do jornal britânico independente The Guardian, temos, de 2018, Ukraine's far-right children's camp: 'I want to bring up a warrior' (O campo ucraniano de extrema direita para crianças: Eu quero criar um guerreiro), que mostra acampamentos que desde o começo da adolescência dão treinamento físico e ideológico para futuros combatentes. É o único que não tem legendas automáticas em inglês, mas todas as falas em ucraniano são legendadas em inglês dentro do próprio vídeo. De qualquer modo, as simples imagens já são extremamente esclarecedoras, mas é bom traduzir aqui a descrição do vídeo: "Na Ucrânia, a milícia de extrema direita Azov está lutando na fronteira – e mantendo um acampamento de verão para crianças. The Guardian visitou o campo e acompanhou o Anton (16 anos) por suas experiências. É Azov realmente uma moderna organização da Juventude Hitlerista, ou está tentando preparar jovens ucranianos para a dura realidade que os aguarda." (Como se uma coisa excluísse a outra.) Tem quase 760 mil visualizações.

4. O mais antigo é de 2016, da estatal londrina BBC, The far-right group threatening to overthrow Ukraine's government (O grupo de extrema direita ameaçando derrubar o governo ucraniano.) No caso, refere-se ao governo anterior a Zelensky, mostrando a indignação desses grupos contra a corrupção e os acordos de Minsk. Sua descrição trás: "O Setor Direito (Prevy Sektor) e um grupo de extrema-direita da Ucrânia. Eles querem trazer outra revolução no país. Gabriel Gatehouse teve acesso exclusivo ao grupo."

Em todos os casos há discussão sobre o naipe fascista / nazista do grupo, com constantes negações. Mas o mínimo que tais grupos são chamados é de extrema direita e de supremacistas brancos, com muitos entrevistados acusando-os abertamente de nazistas e com evidentes elementos estéticos e retóricos inconfundíveis no imaginário popular. Seu anticomunismo é escancarado, bem como sua aversão aos russos e disposição de lutar por uma "Ucrânia acima de tudo! Glória." Também é claramente mostrada a questão da Guerra do Donbass que se arrasta desde 2014 e apontado o fato de que a milícia Azov foi oficialmente integrada pelo governo ucraniano.

E a questão não é fazer um julgamento de valor. Eu até reconheço algumas virtudes louváveis nesses movimentos. O ponto é que POR MUITISSÍSSIMO MENOS organizações vagamente similares seriam inequivocamente tachadas como nazistas e proibidas em praticamente todos os países ocidentais. E que esses mesmíssimos órgãos de imprensa que fizeram esses documentários, hoje estão agindo como se nada disso jamais tivesse existido e até mesmo acusando Vladimir Putin de espalhar Fake News ao citar sua existência!

Sim! Estamos num momento onde milícias neonazistas estão sendo omitidas, ou até mesmo vistas como heroicas, pelo simples fato de serem anti-rússia, e a vilanização da Rússia e de Putin chega ao ponto de acusar a ele de nazista!

E esses são apenas 4 vídeos. Há MUITO MAIS!

4 de Março

Sei que muitos não querem fazer uma defesa acrítica do Ocidente, da OTAN e sobretudo dos infindáveis crimes dos EUA mundo afora que superam em muito todos os dos outros países combinados após a Segunda Guerra Mundial.

Que também condenariam com veemência se soubessem que, nesse exato momento está acontecendo coisa pior na Somália e no Yêmem. E sobretudo, que baseiam suas críticas à Rússia em certos valores humanos e éticos.

Ocorre que todos esses valores que usam são criados e irradiados pela mesmíssima "autoridade moral" que já matou no mínimo 10 milhões de pessoas mundo afora em infindáveis guerras, invasões, golpes de estado, embargos econômicos e um sem número de outras agressões. Com a diferença que esse número é consensual e impossível de negar, ao passo que os números alegados por essa mesma autoridade moral contra seus oponentes são controversos e em muito casos completamente fantasiosos.

Os tais "valores éticos universais", e os "modelos políticos e econômicos ideais", propagados por esse polo de irradiação midiático que domina quase todos os grandes órgãos de imprensa ocidentais, são criados sob medida para beneficiar as mais poderosas dinastias hereditárias que já existiram, mas que se ocultam nas sombras do Estado Profundo e controlam fantoches patéticos como Biden e Obama para seus fins pessoais.

Se achar moralmente superior e isento por julgar civilizações alheias com base em valores como 'democracia' e 'liberalismo' tomando como fonte de informação a mesma grande mídia que no fundo sabe ser mentirosa e manipuladora, não é nada mais que ser um marionete ilustrado, alçado um pouco mais alto pelos cordões dos mesmos titereiros.

3 de Março

De todas as demonstrações de estupidez que os devotos da grande mídia e da OTAN ostentam como medalhas, destaca-se o espantoso "argJumento" de que não poderiam existir grupos neonazistas na Ucrânia devido ao presidente comediante ser Judeu.

Ainda que essa oposição fizesse algum sentido, seria o equivalente a dizer que uma mulher jamais poderia fazer mal ao próprio filho por ela ser mãe, que um policial jamais poderia cometer um crime por ser um agente da lei, ou que a ideia de alguém trair a própria pátria é inconcebível.

Mas antes de entrar no que mais interessa, não custa lembrar que 'judeu nazista' só é um "triângulo redondo" na cabeça de um "cérebro quadrado", e que um mínimo de pesquisa mostrará exemplos tanto na atualidade quanto durante o Terceiro Reich. (Alguns links abaixo, considerando que é pedir demais que esse pessoal pesquise por si próprio.)* E sempre aproveito para recomendar o ótimo filme The Believer, de 2001, no Brasil titulado como "Tolerância Zero", estrelado por Ryan Gosling, inspirado na história real de um desses curiosos exemplares.

Mas o grande ponto é que o que essencialmente define tanto o Nazismo quanto qualquer forma de Neonazismo é o fato de ser um ULTRA NACIONALISMO ÉTNICO, que não necessariamente tem que estar atrelado a apenas uma oposição étnica específica.

Do contrário, será necessário desinstalar os drivers do próprio Hipocampo cerebral para impedir qualquer recordação de hostilidade de grupos neonazistas contra imigrantes, latinos, negros ou médio orientais, e até, no nosso caso brasileiro, de neonazistas do Sul e Sudeste contra nordestinos, que frequentemente também são brancos.

Como tudo o que os atuais Sobrinhos do Tio Sam sabem sobre Nazismo parece ter sido aprendido num recorte monárquico de episódio do Flow, é provável que sequer saibam que as mais numerosas vítimas dos nazistas não foram os judeus, mas os russos! Menos ainda poderiam imaginar que a Ucrânia é um país cujas etnias eslavas de procedência russa e ucraniana se distinguem a nível linguístico de forma mais drástica e evidente do que a distinção entre germânicos e os judeus asquenazes, falando o mesmíssimo alemão, jamais poderia fazer na Alemanha.

Isso obrigava os nazistas, na maioria dos casos, a conferir a documentação para saber se alguém era judeu ou não, coisa que na Ucrânia, basta o russo abrir a boca para ficar evidente sua ascendência!

O neonazismo ucraniano, sendo assim, está pouco preocupado com os judeus, e sim com os russos, embora isso possa mudar em algum momento, claro. Afinal, sendo a Terra não plana, já deu voltas suficientes para que muita gente boa jamais tenha ouvido falar que o propósito originário do Nazismo sequer era exterminar judeus, e sim exilá-los, para o que foram até mesmo simpáticos ao Sionismo!

Na realidade, o propósito mais fundamental e original do Nazismo era antes combater o comunismo que o judaísmo, no famoso livro do artista austríaco, para cada frase de repúdio a judeus, há dez de repúdio ao comunismo, sendo que frequentemente vem num combo único.

E claro, os russos hoje não são mais comunistas, e por sinal, vale lembrar que Putin é tão judeu quanto Zelensky, embora não "praticantes". Mas considerando ser normal que anticomunistas não saibam a diferença entre a bandeira da URSS e a do Japão, não deveria surpreender que os neonazistas ucranianos também não se importem muito com detalhes.

De qualquer modo, essa questão sequer deveria estar sendo colocada, visto que os negacionistas do neonazismo ucraniano escancarado deveriam é estar tentando entender o fato concreto, e não tentando negá-lo por meio de um pseudo silogismo tacanho, como se uma operação linguística mal feita milagrosamente alterasse a realidade.

Podiam experimentar então recitar "Como é possível haver comunistas no Brasil se o presidente é anticomunista?" para ver se Jones Manoel e companhia desaparecem num passe de mágica.

Talvez estejam evitando pensar nisso, considerando que até o seu mito começou a manifestar um pingo de lucidez, perigando deixá-los órfãos.

Mas não por muito tempo. Toda a trupe liberal da Globo e mesmo da neoesquerda está ansiosa para recebê-los no novo grupo identitário do momento, o OTANmínions.

*

The Jews Who Fought for Nazi Germany
www.tabletmag.com/sections/arts-letters/articles/ellen-feldman-nazi-germany

Os "soldados judeus" de Hitler
www.dw.com/pt-br/os-soldados-judeus-de-hitler/a-982232

Jewish Soldiers in Hitler's Nazi Army
www.jewishmag.com/158mag/hitler_jewish_soldiers/hitler_jewish_soldiers.htm

The Jewish Neo-Nazi and the Chabad Rabbi
www.chabad.org/news/article_cdo/aid/3600571/jewish/The-Jewish-Neo-Nazi-and-the-Chabad-Rabbi.htm

Dan Burros
en.wikipedia.org/wiki/Dan_Burros

2 de Março

Somos vítimas de
Weapons of Mass Disinformation

1 de Março - 23:01

Narrativa pra lá, narrativa pra cá, muita gente tem usado o conceito de "Declaração de Guerra" num sentido literal! Prezáveis, NÃO EXISTE MAIS DECLARAÇÃO DE GUERRA! Elas foram praticamente abandonadas após o fim da Segunda Guerra Mundial. De lá para cá, o que se faz são "operações especiais", "missões de paz", "intervenções estratégicas" etc, que não, não são equivalentes a uma Declaração de Guerra no sentido formal.

Enquanto isso, tem gente por aí dizendo que Putin violou tal ou qual acordo por ter atacado a Ucrânia sem ter declarado guerra, bem como tem gente se perguntando se o Brasil vai declarar guerra à Rússia, ou talvez à Ucrânia! E não é só blogueiro não, tem jornalista, historiador e até cientista político dizendo isso!

Repito, NÃO SE USA MAIS DECLARAÇÕES DE GUERRA, e é melhor que assim permaneça, porque se essa instituição formal for recuperada após quase 80 anos de desuso, então é melhor se preparar para um Inverno Nuclear.

1 de Março - 19:01

O COMEDIANTE

(Watchmen, 2009)


1 de Março - 13:11

Exato. Para a Rússia só há desvantagem em promover massacre e devastação, visto que ela quer a Ucrânia de volta. Pra OTAN, quanto pior a tragédia, melhor pra enfraquecer a Rússia. Por isso Zelensky quer por civis na linha de frente.

Vinicius Dias de Souza
1 de Março

Europeus e Americanos são tão desgraçados da cabeça que acreditam ser uma fraqueza, uma desvantagem, um deslize ou uma perda você simplesmente não varrer o inimigo do mapa com ataque aéreo.

Eles literalmente desconhecem uma campanha militar de ocupação e captura terrestre (que é curiosamente o que eles sempre alegaram fazer no oriente médio frente a ONU).

A única campanha militar que tanto a NATO quanto a população dos países que integram ela conhecem é morticínio generalizado e depois bilhões gastos para reconstruir tudo! Kkk

Se a intenção do exército da federação russa fosse genuinamente a aniquilação, tendo eles já o céu, bastava varrer o território inimigo com ataques de bombardeiro (como fez os EUA na Síria), mas como a intenção do governo russo é derrubar efetivamente o governo e não o país, não se faz vantajoso uma destruição completa, obviamente.

Nestes termos, a midia ocidental fica extremamente confusa quando vê tropas russas recuando ao encontrar resistência massiva, mas eles o fazem para contornar a área ocupada e ssim dividir o inimigo e neutralizar sem ter que recorrer a covardia que são as séries de bombardeios coordenados contra uma infantaria inimiga.

Na logística do Pentágono que só conhece ir para frente massacrando tudo e aumentando o poder de fogo quando preciso, tal estratégia antes mencionada se faz impensável! Tanto é que interpretam a tática russa de dividir e contornar como "recuo de tropas russas" e assim fazem manchetes sobre "resistência e vitória do exército popular ucraniano"...

Esse é o nível de psicopatia de governos da NATO!

Fevereiro de 2022



FEVEREIRO DE 2022
JANEIRO DE 2022

DEZEMBRO de 2021
NOVEMBRO de 2021
NOVEMBRO de 2021
OUTUBRO de 2021
SETEMBRO
AGOSTO de 2021
JULHO de 2021
JUNHO de 2021
MAIO de 2021
ABRIL de 2021
MARÇO DE 2021
FEVEREIRO DE 2021
JANEIRO DE 2021

DEZEMBRO de 2020
NOVEMBRO DE 2020
OUTUBRO DE 2020
SETEMBRO de 2020
AGOSTO de 2020
JULHO de 2020
JUNHO de 2020
MAIO DE 2020
ABRIL DE 2020
MARÇO DE 2020
FEVEREIRO DE 2020
JANEIRO DE 2020

DEZEMBRO DE 2019
NOVEMBRO DE 2019
OUTUBRO DE 2019
SETEMBRO DE 2019
AGOSTO de 2019
JULHO de 2019
JUNHO de 2019
MAIO DE 2019
ABRIL DE 2019
MARÇO DE 2019
FEVEREIRO DE 2019
JANEIRO DE 2019

DEZEMBRO DE 2018
NOVEMBRO DE 2018
OUTUBRO DE 2018
SETEMBRO DE 2018
AGOSTO DE 2018
JULHO DE 2018
JUNHO DE 2018
MAIO DE 2018
ABRIL DE 2018
MARÇO DE 2018
FEVEREIRO DE 2018
JANEIRO DE 2018

DEZEMBRO DE 2017
NOVEMBRO DE 2017
OUTUBRO DE 2017
SETEMBRO DE 2017
AGOSTO DE 2017
JULHO DE 2017
JUNHO DE 2017
MAIO DE 2017
ABRIL DE 2017
MARÇO DE 2017
FEVEREIRO DE 2017
JANEIRO DE 2017

DEZEMBRO DE 2016
NOVEMBRO DE 2016
OUTUBRO DE 2016
SETEMBRO DE 2016
AGOSTO DE 2016
JULHO DE 2016
JUNHO DE 2016
MAIO DE 2016
ABRIL DE 2016
MARÇO DE 2016
FEVEREIRO DE 2016
JANEIRO DE 2016

DEZEMBRO DE 2015
NOVEMBRO DE 2015
OUTUBRO DE 2015
SETEMBRO DE 2015
AGOSTO DE 2015
JULHO DE 2015
JUNHO DE 2015
MAIO DE 2015
ABRIL DE 2015
MARÇO DE 2015
FEVEREIRO DE 2015
JANEIRO DE 2015

DEZEMBRO DE 2014
NOVEMBRO DE 2014
OUTUBRO DE 2014
SETEMBRO DE 2014
AGOSTO DE 2014
JULHO DE 2014
JUNHO DE 2014
MAIO DE 2014
ABRIL DE 2014
MARÇO DE 2014
FEVEREIRO DE 2014
JANEIRO DE 2014

DEZEMBRO DE 2013
NOVEMBRO DE 2013
OUTUBRO DE 2013
SETEMBRO DE 2013
AGOSTO DE 2013
JULHO DE 2013
MARÇO À JUNHO DE 2013
FEVEREIRO DE 2013
JANEIRO DE 2013

DEZEMBRO DE 2012
NOVEMBRO DE 2012
OUTUBRO DE 2012
SETEMBRO DE 2012
AGOSTO DE 2012
JULHO DE 2012
JUNHO DE 2012
MAIO DE 2012
ABRIL DE 2012
MARÇO DE 2012
FEVEREIRO DE 2012
JANEIRO DE 2012

NOVEMBRO-DEZEMBRO DE 2011
SETEMBRO & OUTUBRO DE 2011
JULHO & AGOSTO DE 2011
ABRIL-JUNHO DE 2011
MARÇO DE 2011
FEVEREIRO DE 2011
JANEIRO DE 2011

DEZEMBRO DE 2010
NOVEMBRO DE 2010
OUTUBRO DE 2010
SETEMBRO DE 2010
AGOSTO DE 2010
JULHO DE 2010
JUNHO DE 2010
MAIO DE 2010
ABRIL DE 2010
JANEIRO A MARÇO DE 2010

2009 DEZEMBRO
2009 NOVEMBRO
2009 OUTUBRO
2009 SETEMBRO
2009 AGOSTO
2009 JUNHO
2009 MAIO
2009 MARÇO & ABRIL
2009 FEVEREIRO
2009 JANEIRO

NOVEMBRO & DEZEMBRO 2008
OUTUBRO 2008
SETEMBRO 2008
AGOSTO 2008
JULHO 2008
JUNHO 2008
MAIO 2008
ABRIL 2008
MARÇO 2008
JANEIRO & FEVEREIRO 2008

2007 DEZEMBRO
2007 NOVEMBRO
2007 OUTUBRO
2007 JULHO & AGOSTO
2007 MAIO & JUNHO
2007 MARÇO & ABRIL
2007 JANEIRO & FEVEREIRO

OUTUBRO a DEZEMBRO 2006
SETEMBRO 2006
AGOSTO 2006
JULHO 2006
MAIO & JUNHO 2006
ABRIL 2006
MARÇO 2006
JANEIRO & FEVEREIRO 2006

2005 NOVEMBRO & DEZEMBRO
2005 SETEMBRO & OUTUBRO
2005 JUNHO a AGOSTO
2005 MAIO 2005
2005 MARÇO & ABRIL
2005 FEVEREIRO
2005 JANEIRO

DEZEMBRO 2004
NOVEMBRO 2004
OUTUBRO 2004
SETEMBRO 2004
AGOSTO 2004