ALGUNS FALSOS MITOS SOBRE A BÍBLIA

"A Bíblia perdeu parte de seu conteúdo original devido as sucessivas traduções"

Apesar de que qualquer tradução sem dúvida prejudique a essência de uma obra, não é procedente acreditar que a Bíblia que possuímos hoje seja diferente daquela que foi originalmente escrita. Ao contrário do que se pensa, a Bíblia não sofreu diversas traduções sucessivas. Mesmo as que possuímos em Português foram em sua maioria traduzidas de seu idioma original.

O Antigo Testamento foi escrito em Hebraico e Aramaico, e o Novo em Grego. Nenhuma dessas línguas está morta como ocorreu com o Latim, a primeira língua para a qual foi traduzida. Qualquer um desses idiomas é ainda hoje falado por milhões de pessoas no mundo e qualquer um pode aprendê-lo com facilidade em cursos, escolas especializadas ou universidades.

A maioria dos estudiosos afirma que a melhor tradução da Bíblia é a versão para o Inglês demoninada King James Bible, em Português as preferências recaem para a versão de João Ferreira de Almeida, utilizada pelos Protestantes, e para a Bíblia Católica de Jerusalém.

"A Bíblia teve seu conteúdo original deliberadamente alterado pela Igreja Católica"

Este é um mito sem o menor fundamento, embora de fato alguns trechos de certas versões da Bíblia tenham sofrido interpretações temporais, ela não sofreu nenhuma alteração em sua essência.

Além da Igreja Católica, a Bíblia também foi guardada por diversas comunidades do oriente médio, principalmente árabes, pela Igreja Ortodoxa Oriental e o Velho Testamento também pelos Judeus. Não há qualquer diferença significativa entre elas.

Ademais seria muito estranho que tal fosse verdade, pois pareceria um trabalho de péssima qualidade uma vez que diversas posturas da Igreja Católica são claramente Anti-Bíblicas, e se ela a tivesse alterado, teria pelo menos atenuado tais contradições.

Vale lembrar que o Catolicismo é uma religião baseada não somente na Bíblia, mas também em quase 2.000 anos de obras filosóficas, éditos e bulas papais.

"A Bíblia traz, disfarçadamente, o conceito de Reencarnação"

Esse mito é em geral alimentado pelos dois anteriores.

Apesar de ser este o desejo de diversos místicos, é preciso muita distorção interpretativa para se retirar a idéia de reencarnação diretamente da Bíblia. Há inúmeras citações que inviabilzam tal possibilidade, e pouquíssimas que se interpretadas isoladamente, poderiam sugerir qualquer apoio à crença da reencarnação.

"De acordo com a Bíblia, as pessoas boas estão no Céu e as Más no Inferno"

Essa é uma das mais flagrantes evidências do quanto a maioria dos cristãos não conhece sequer o básico sobre seu próprio livro sagrado.

Qualquer interpretação teológica séria da Bíblia mostra claramente que até hoje, NINGUÉM foi para o Céu ou Paraíso, nem exatamente para o Inferno ou mesmo Purgatório. De acordo com a Bíblia TODOS OS MORTOS ESTÃO MORTOS! Deixaram de existir! E sendo assim não tem qualquer consciência. Ou no máximo estariam em algum plano incogniscível.

Os mortos só serão ressuscitados no dia do Juízo Final, quando finalmente serão julgado por Deus e aí sim, os ditos ímpios serão lançados ao Abismo/Inferno e os escolhidos PERMANECERÃO NA TERRA, que voltará a ser um Paraíso como fora o Jardim do Éden. Pela maioria das teologias, ninguém ira exatamente para o Céu!

A Bíblia também não menciona o Purgatório.

"A Bíblia declara que os condenados ao Inferno sofrerão Eternamente"

Embora essa idéia seja predominantemente difundida entre boa parte dos cristãos, ela não é declarada explicitamente na Bíblia. No Velho Testamenteo com certeza não há qualquer menção a Condenação Eterna, mas há sim citações no Novo Testamento que dão essa idéia. Entretanto ela é extremamente duvidosa uma vez que as palavras empregadas, inclusive a usada para "eterno", tem outros significados.

Muitos teólogos e igrejas específicas propõem que os condenados serão aniquilados pelas chamas do Inferno, ou seja, deixarão definitivamente de existir. É a doutrina do Aniquilacionismo.

Além disso a própria expressão "Punição Eterna" possui uma contradição básica que pode ser evidenciada em qualquer dicionário. "Eterno" é um conceito que está fora do Tempo, tendo sempre existido, já "punição" ou "condenação" claramente dependem do conceito de Tempo, só se pode ser julgado ou condenado por algo que se fez no passado, e só se pode ser punido a partir de algum momento no tempo, o que contraria a idéia de Eterno.

O termo mais correto seria Punição Perpétua, que mesmo assim, não possui base Bíblica clara.

"Pela Bíblia o Ser Humano possui uma alma imortal que transcende o corpo físico"

Outro mito difundido mas sem base. Pela Biblia, o Ser Humano só possui alma enquanto possuir corpo. Não há uma essência espiritual independente. Após a Ressureição no Juízo Final, que ressucita tanto a alma quanto o corpo, os escolhidos para o Paraíso viverão fisicamente nele, assim como os lançado ao Inferno.

"A Bíblia, se bem interpretada, não apresenta erros sobre a concepção da natureza"

Esse é um mito pró-bíblico recente disseminado em geral por fundamentalistas cristãos, em especial pela Sociedade Torre de Vigília e várias designações batistas. Trata-se de tentar provar, sacando versículos isolados e alterando-lhes a interpretação, que a Bíblia contém uma visão de mundo plenamente compatível com a visão científica atual. Faço uma abordagem que demonstra uma visão Geocêntrica e Plana da Terra no texto CIÊNCIA X BÍBLIA. Há inúmeros outros erros de ordem científica na Bíblia, que pretendo abordar pouco a pouco.

A ser continuado...

Embora seja evidente que a Bíblia dê margens a múltiplas interpretações, há limites para tais. Há de fato muito pontos discutíveis, contraditórios e dúbios, porém, nada muda o fato de que a Bíblia Cristã seja um livro RELIGIOSO, CRIACIONISTA, MONOTEÍSTA, NÃO-REENCARNACIONISTA, SALVACIONISTA, de considerável teor MANIQUEÍSTA e sobretudo MITOLÓGICO.

Volta para "A BÝblia"

Volta para "Livros Sagrados"